A Grande Psicologia dos Pequenos

A lógica das crianças é diferente da nossa e, para entendê-la, só entrando na brincadeira. Entregue-se!

Eduardo Augusto Batista dos Santos, pai de Clara, de 3 anos, é filósofo de formação, foi professor de Ética para crianças e adolescentes e trabalha atualmente na área de recursos humanos de uma grande empresa

Certo dia, estava eu num ponto de ônibus quando vi duas mulheres conversando. Uma delas, vestida com uma calça extremamente branca. Entre elas, duas crianças correndo e brincando de pique-esconde. Diante de nós, uma poça de água suja. O menininho parou de correr por um instante e começou a bater os pezinhos na água. O que aconteceu em seguida?

Não aconteceu nada! Mas poderia ter acontecido, e alguém furioso talvez dissesse:

— Menino, olha o que você fez! Sujou a minha calça todinha!
— Que absurdo! — responderia a outra.
— Olha o que você fez!!! Sujou a calça da sua tia! O que é que eu faço agora com você?! Também não para quieto!

Porém, aquelas duas crianças voltaram a correr alegremente enquanto as duas mulheres conversavam. Suspirei aliviado e pude voltar tranquilo para casa.    

Os pequenos têm uma lógica muito peculiar. Toda essa noção de “causa e efeito” para eles faz pouco sentido. Com o tempo, e a educação dada pelos pais e pela escola, vão aprendendo. Eles podem, por exemplo, encontrar um tubo de pomada pela frente e simplesmente esvaziá-lo em segundos. Tudo isso só pra ver aquela pasta branca escorregar deliciosamente por sobre a cama. Minha filha Clara não fez isso – ainda! Eles também podem desfazer um rolo de papel higiênico até o final e achar isso o máximo! A Clara quase fez isso! Mais de uma vez!

Podem as crianças encher a boca de suco e cuspir lentamente no chão todo o líquido, num singular exercício de experimentação. As crianças fazem o mundo ficar mais belo! Virar um prato de comida de cabeça para baixo e passar no cabelo como se fosse gel? Possível. Minha filha já fez isso!

É, MEUS CAROS ADULTOS, AS CRIANÇAS SÃO MESMO DIFERENTES. COMO ELAS LEVAM A SÉRIO AS BRINCADEIRAS! E NÃO TEM HORA PARA BRINCAR. A VIDA É MUITO BOA PRA FICAR DE CARA FECHADA VENDO O TEMPO PASSAR…

Nossas crianças adoram pular em cima da cama na hora exata de trocá-las, adoram ficar sem roupa após o banho sem pensar nas horas, adoram se engalfinhar nos lençóis até perder o fôlego… e não adianta dizer que você NÃO está brincando! Quer dizer, às vezes, até resolve sim! Há momentos em que dá vontade até de chorar. E quantas mães ainda vão chorar… Mas não ligue tanto assim! Aprendam com seus filhos que o melhor momento com eles é quando se faz essa entrega de corpo, alma e coração. O amor acontece assim.

Parabéns então a todos os pais e mães que se dedicam a ensinar a seus filhos um caminho de boa sorte e felicidade! Que ficam sem dormir direito, ou até sem comer, para vislumbrar num lindo sorriso a mais completa realização. Parabéns a todos os pais e mães que se dedicam a aprender com seus filhos a beleza do carinho e a força do amor!

Texto publicado na Revista Pais e Filhos em outubro de 2010 sob o título “A psicologia das Crianças.

Anúncios

2 Comentários on “A Grande Psicologia dos Pequenos”

  1. Paulo Lopes disse:

    Olá Eduardo, eu sou o Paulo, pai da Manoela. O seu blog é como uma pracinha limpa e bem cuidada no centro caótico de uma cidade grande. De vez em quando, tudo o que a gente quer é sentar naquele banco e só ficar ali, tranquilo. Parabéns pelos seus textos. Um abraço. Paulo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s