A borboleta azul

Certa vez minha esposa Ana teve uma sexta-feira bem difícil no trabalho, a ponto de isso comprometer o seu fim de semana. Na 2ª feira  que também não foi diferente, ela me relatava ao final do dia os ocorridos, quando de repente, falei:

_ Mas aconteceu algum milagre hoje, não aconteceu?

 _ Ah sim Edu! Aconteceu! Eu estava no centro da cidade quando vi uma borboleta azul imensa! Linda! Ela voou em direção a um ônibus e você acredita que o ônibus quase trombou nela?

 Após me contar essa história, tudo ficou tranqüilo e começamos a falar de outras coisas.  

dezembro 2006.

Anúncios

4 Comentários on “A borboleta azul”

  1. Pri Passini disse:

    “Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me aquietar o espírito.”

  2. Ivan de Souza disse:

    Os cronistas do cotidiano, feito você, amigo Eduardo Augusto, têm a importante missão de simplificar o complicado e magnificar o simples, sempre que nos quedamos perante estas duas possibilidades; e ficamos perplexos com nosso incognoscível espanto. Grato, meu bom amigo, por compartilhar sua sabedoria de vida conosco!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s