“Dinada”

Existe uma religião de origem japonesa, a Seicho-No- Iê, que acredita e prega que, devemos ser gratos a tudo que nos acontece. Devemos agradecer inclusive os percalços da vida e o sofrimento a que estamos todos sujeitos. A dor, segundo eles, é um mestre. Penso que não estejam errados.

Não precisamos sofrer para sermos gratos também por um abraço, uma palavra amiga, pela saúde, pelo sol, pela chuva, por um belo entardecer… podemos ser gratos a tantas coisas…

A gratidão às vezes existe sem que saibamos, quando algum gesto nosso foi praticar o bem, como diz o ditado, sem olhar a quem. Para aquele que o recebeu foi muito significativo.

É muito comum respondermos a um simples obrigado: de nada. De nada são os gestos mais simples, pura expressão de quem reconhece seu valor.

Eduardo

01/04/12

Anúncios

5 Comentários on ““Dinada””

  1. Roberta de Souza disse:

    Lindo texto Edu, amei!! Parabéns!!

  2. Aliks disse:

    … obrigado pelo texto inspirador …
    um abraço e tenha uma semana abençoada,
    Aliks

  3. Luciano de Andrade Lopes disse:

    Formidável Edu, de fato nada acontece por acaso.
    Grande abraço e obrigado pela reflexão.

  4. valeria disse:

    Um belo exercício: dar graças a vida…
    Aos pais, mestres, amigos…
    Até mesmo àquela ‘pedra’ no caminho…
    Abraços

  5. Eduardo disse:

    Fino demais Du… gostaria de utilizar uma parte deste texto na minha mensagem de Orador, posso?
    rsrs


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s