Combinado?

Minha filha Clara está adorando assistir desenhos animados. Quem nunca curtiu, quando era criança, Pernalonga e Patolino, Mickey e Donald e tantos outros? Não tem problema nenhum ela querer. A questão é querer assistir sem nem tomar o café da manhã, sem escovar os dentes, sem fazer o para casa… E, se deixarmos, sem nem almoçar!

Não teve jeito. Tivemos que impor horários. Contudo, minha pequena um dia desses se rebelou _ se é que posso dizer assim.

_ Filha, vem almoçar!  Disse, calmamente! Uma, duas, três vezes, quatro vezes … e nada! Desliguei a TV. Ela ficou indignada e muito chateada comigo, apesar de todo e qualquer combinado! Me perguntou soluçando, com um olhar inquisidor (e ela só tem cinco aninhos):

_ Papai, por que que criança nunca pode fazer o que quer, heim? Por quê?

-É o contrário, filha! (Com esta pequena frase tentava explicar a ela que são os adultos que quase nunca podem fazer tudo o que querem).

Verdade seja dita agora: nem crianças, nem adultos podem fazer tudo que o querem! Existem regras, normas, direitos, deveres, leis e outras tantas coisas que Freud explica. E não somente ele!

Deixei que ela se acalmasse, enquanto ficávamos em silêncio. Dez minutos depois, já estava tudo bem, como se nada tivesse acontecido. Como me disse uma amiga: limite dá forma!

Combinado?

Eduardo

26/09/12

Imagem meramente ilustrativa.

Anúncios

5 Comentários on “Combinado?”

  1. Kenya Ellen disse:

    Du, isso é o cotidiano de nós, pais, com nossos pequenos. Parecem que estão de binóculo olhando nossos comportamentos, palavras e atitudes. O Kauã outro dia me disse: “Que falta de respeito, desligar a TV na minha “cara”… É o limite que, não nos permite ultrapassar o direito do próximo. Até logo.

  2. Lucas Augusto Monteiro de Castro disse:

    O melhor de tudo na história é que, passados alguns minutos, tudo voltou ao normal como se nada tivesse acontecido. É a ternura do amor trazendo, com seus contornos, a certeza do aprendizado … Abraços!

  3. natcosta disse:

    Não tenho filhos, mas fui criada de uma forma bem regrada e sistêmica. Horários pra estudar, comer, tomar banho, brincar, aula de reforço… Lembro o quanto achava isso chato, mas hoje percebo tudo que ganhei, tudo que aprendi.
    Mas educar é difícil, pois por vezes a educação tem que vir na dor (desligar a tv) e depois da dor tem que vir o amor (conversar e esperar) e acho tão difícil este limiar entre a dor e o amor que penso se conseguirei educar meus filhos da mesma forma que fui educada.
    Parabéns pelo blog e pelas percepções da vida!

  4. Caroline disse:

    O que eu mais gosto de ser adulta é que de fato POSSO fazer tudo o que quero. Tenho a vida e o mundo inteiros de possibilidades, assim como todo mundo. As pessoas se contentam e não veem além das possibilidades que lhes são apresentadas, e mesmo dentro disso a liberdade é grande, porém, se questionarmos o pensamento do senso comum, as possibilidades são de fato infinitas.

  5. Débora Lino disse:

    Pois como disse o bem citado aí em cima, Freud: “Em última análise, precisamos amar para não adoecer.” E o combinado é o amor! 😉


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s