Começar de novo

Comecei escrevendo poesias na infância e quando estava na 3ª série fiz uma em homenagem ao Dia das Mães que foi rodada num mimeógrafo para toda a escola. Lembro-me nitidamente de receber em minhas mãos o texto e que naquele momento era também entregue a dezenas de outros alunos.

Na adolescência, escrevi milhares de poemas; até que um dia, percebi que todos eles falavam de alguma forma, dessa incompletude que tantas vezes sentimos. Mais na frente, resolvi então rasgar todos aqueles papéis repletos de significados, quem sabe, ocultos; frases subjetivas disparadas em muitas direções. Já disse Ferreira Gullar: “a poesia está em tudo, mas, não todo o tempo!”

Depois disso, fiquei quase uma década sem nada escrever… até que um dia, indo de ônibus para o centro da cidade vi uma cena que me marcou para sempre. Eu estava sentado bem na frente quando um velhinho deu o sinal. Muito devagarinho, muito mesmo, ele desceu cada degrau, enquanto o motorista aguardava pacientemente. Eu e todas aquelas pessoas que ali estavam acompanhávamos também seus movimentos. Era como se o tempo tivesse parado e algo de nossa solidariedade despertasse. Assim que ele alcançou a calçada, virou-se lentamente para o motorista, tirou o boné fazendo um gesto de agradecimento_ reverência por tão bela gentileza; fazendo-nos esquecer que, há pressa na cidade grande . O condutor do lotação respondeu com um singelo sorriso, consentindo com  a cabeça. Decidi a partir daquele instante que precisaria contar esta história e que começaria de novo a escrever, trilhando agora o caminho da crônica, deixando falar com objetividade a voz do coração.

Hoje, dia 19 de agosto, meu blog Maneira Simples, faz um ano! Uma grande alegria para mim! Quase 28 mil visualizações, do Brasil e de outras partes do mundo.

Quero expressar minha gratidão a todas as pessoas que por aqui passaram, aos meus queridos amigos que tanto me incentivaram a publicar meus textos, que comentaram, divulgaram. Bem grato a todos!

Maneira simples:  “Nada é mais real que aprender maneira simples de viver, tudo é tão normal se a gente não se cansa nunca de aprender, sempre olhar, como se fosse a primeira vez, se espantar como criança a perguntar por quês…”.

Grato ao Almir Sater por também ter me inspirado desde de que escutei pela primeira vez sua música!

Um abraço gente,

Eduardo

19/08/12

http://letras.mus.br/almir-sater/868447/


F

Você já reparou que algumas pessoas têm emails dificílissimos? Dizem que tem gente que gosta de complicar… haja soletração.

Isso me fez pensar em outra coisa… sempre que aparece a letra F… alguém diz do outro lado da linha: F de faca!

Não faço a mínima ideia de quem começou isso. Porque não, F de fazer, de força, de felicidade! F de Fafá, farofa, foca, frente, frio, fome?

Fim

Eduardo

17/01/12


Os números de 2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 2.400 vezes em 2011. Se fosse um bonde, eram precisas 40 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo