Andar

Como é maravilhoso andar! Percorrer os caminhos do mundo perto de casa… Subir a montanha mais difícil, ou ensaiar o passo de balé mais bonito. Andar com fé. Andar e escolher os sapatos para ir à missa no domingo, se encontrar com Deus.

As estradas da vida nos esperam sempre, onde vamos tecendo nossos encontros. Nunca parar de vez, porque alguma novidade pode estar te esperando logo ali.

E, “no meio do caminho tinha uma pedra…” já dizia o poeta….

Os caminhos são feitos de pedrinhas…

Andar e buscar a verdade, andarilho que não se cansa. Andar por entre pensamentos, indo de um lugar ao outro.

Como é belo andar… passo sobre passo. Um passo seguido de outro. Os primeiros passos da vitória. E o mundo cheio de coisas, dando voltas sem parar. O mundo eu tenho de conquistar…

Como é leve andar por essas esquinas. Assobiando ou indo trabalhar…

Escrever e andar….

Eduardo

06/07/03.

Anúncios

Controle remoto

Eu me lembro muito bem quando vi pela primeira vez um controle remoto de TV. Foi numa festa de noivado em Ouro Preto-MG, em 1978. A TV em cores era também enorme para aquela época. A criançada mexeu tanto na geringonça que, em determinado momento, ficamos apreensivos se não havíamos estragado aquela peça rara que, de mão em mão, fazia a alegria da meninada.

Na semana passada fiquei sabendo que seu inventor, o americano Eugene Polley,  morreu aos 96 anos.

Gravou-se em minha memória aquele dia em que fizemos mágica com a ponta dos dedos.

http://economia.ig.com.br/empresas/industria/2012-05-22/morre-nos-eua-o-inventor-do-controle-remoto-de-tv.html

Eduardo

23/05/12 


Biônico

Desde pequeno uso aparelho ortopédico. Tive poliomielite com um ano e meio e desde então, o tutor é um companheiro de estrada. Por volta dos 9 anos gostava muito de ir com meus irmãos à piscina. Brincávamos horas e horas na água. Antes do clube fechar, eu insistia com eles para irmos mais cedo para o vestiário. Colocar o tutor levava um tempo considerável. Assim que tocava a sirene, o espaço ficava pequeno para tantos adultos e crianças e em poucos minutos o vestiário era fechado.

Quando isso acontecia, eu tinha de colocar meu aparelho do lado de fora, já que precisava estender minha perna na horizontal, o que faço até hoje. Ou seja, eu ocupava um banco inteiro para realizar esta ação. A meninada ia chegando, fazia uma roda à minha volta e perguntavam aos meus irmãos:

_ O que é isso na perna dele? Eles respondiam com a maior cara de convencimento:

_  Ele tem perna biônica!

_ Nossa, é mesmo!?

_ Olha só, ele tem perna biônica!” A criançada se olhava admirada querendo saber de cada peça! Meus manos e meus amigos não paravam de inventar e faziam um esforço imenso para não rir! Eu também acabava me divertindo muito! Uma das crianças disse certa vez:

_ Ele tem perna biônica? Então, pede pra ele correr!” Aí meus irmãos diziam: Não, agora não, a perna dele molhou na piscina, tem de esperar secar! Senão, não funciona…!

É isso! Uma bela recordação da minha infância à época em que passava na TV a mini-série: O homem de 6 milhões dólares!

Dedico esse texto aos meus queridos irmãos Taciano Júnior, Giuliano e Marco Antonio.

Eduardo

05/04/12 


Certificado de coragem

Minha filha Clara precisou fazer exame de sangue na semana passada e eu disse a ela:

_ Leve seu macaquinho pra te fazer companhia! Ela colocou o bichinho de pelúcia debaixo do braço e seguiu em frente conosco.

Como explicar às crianças “é para o seu bem!”  Mas, ela fez o exame e recebeu um certificado cheio de corações! A moça que a atendeu escreveu seu nome com uma linda letra e a entregou com um sorriso no rosto.

_ Mamãe, lê pra mim!?

Certificado de Coragem

“Certificamos que nossa brava amiguinha Clara enfrentou a temida agulha e venceu a batalha, sem derramar uma única lágrima! Parabéns!”

Tão feliz ficou nossa pequena, que a Ana teve de ler para ela mais de 20 vezes. Isso bastou para que, bem antes disso, a Clara decorasse cada palavrinha do seu precioso diploma. Ainda o declama com ar solene a todos que a pedem, ou mesmo espontaneamente. Levou-o para a escola para mostrar à professora e aos coleguinhas.

Maria, uma de suas melhores amiguinhas, tendo feito o exame, por coincidência, no mesmo laboratório, perguntou em casa: Mãe, cadê meu certificado de coragem? A Clarinha ganhou um, eu também não chorei! Quero o meu!

Misteriosos caminhos do heroísmo que mesmo uma criança é capaz de compreender. Coragem de ser, de deixar, de fazer acontecer.

Que possamos também receber o nosso certificado por tantas batalhas vencidas e por aquelas que ainda virão.

Um abraço,

Eduardo

20/05/12

12:00


A gente não quer só comida

Há uns atrás presenciei a seguinte cena entre uma amiga e sua filha de 5 anos:

_ Mãe, tô com fome!

_ Ah é, minha filha? E o que você quer comer?

_ De menos sopa e comida, mãe!

Eduardo

11/05/12 


Tempo de criança

Não é preciso ser nenhum expert para descobrir que as crianças pensam de uma maneira bem diferente da dos adultos. Dei o nome de lógica não-linear a esse modo de pensar.

Crianças por exemplo não percebem o tempo como nós. Hoje pode ser amanhã, amanhã pode ser ontem e as férias são no mês que vem…mesmo que estejamos em maio.

Um menininho um dia passou por mim e disse a outro: “amanhã foi o dia do índio!” E assim, com sua surpreendente maneira de ser, elas nos encantam.

Eduardo

11/05/12