É preciso salvar

“Meu Deus todo poderoso,
Meu Deus todo poderoso
Mas eu preciso salvar os velhos, eu preciso salvar as flores,
Eu preciso salvar as criancinhas e os cachorros…”

Jorge Ben Jor.

Há seis anos atrás tive um cálculo renal. Meio centímetro. Numa bela manhã de sexta-feira. Foi tanta dor que repensei a vida… No dia seguinte, eu e a Ana seríamos padrinhos de um casamento no núcleo Rei Salomão. Chegamos a telefonar para os noivos dizendo que seria impossível nossa presença. Milagrosamente, no sábado cedo, não senti mais nada. Estaríamos na cerimônia de União do Saulo e da Judy.  Além disso, o que me marcou, antes de ir para o hospital, foi o fato de encontrar deitada, próxima ao portão do nosso prédio, uma linda cadela Setter, o pêlo todo preto. Um carro quase a atropelou . Ela teve uma luxação na coxa e estava com dificuldades para caminhar. Não me parecia estar sofrendo muito, mas, um pouco assustada e com medo de colocar as patas no chão. Aproximei-me e disse para ela: também estou com dor, mas, não importa o que tenha acontecido, vamos ficar bem!

Retornando da consulta disse pra Ana daquele belo ser que encontrei e que ela precisaria fazer algo logo que chegássemos em casa. Ela assim o fez, ligando para uma clínica veterinária próxima.

_ Ana, não esqueça de telefonar para o Doutor Leonardo! Ele disse que se a dor piorasse para avisá-lo! Faz isso! Passado uns instantes…

_ Edu liguei! O Dr Leonardo disse que terá de fazer exames!

_ De novo? Sem chance!

_ Não Edu! É o Dr. Leonardo da clínica veterinária! Ele tem o mesmo nome do médico que te atendeu! Ele terá de examinar a Setter, mas hoje ele não poderá de jeito nenhum; a agenda dele está lotada, inclusive com cirurgias marcadas. Caso não seja possível esperar até amanhã, aconselhou-nos a procurar outro especialista. Interessou-se pelo que aconteceu, mas está complicado atendê-la.

_ Então vê se você consegue fazer algo e leve água para ela no portão!

Coincidências não existem, apenas sincronicidades!

_ Edu, que animal lindo, não é? Tá cheio de criança em volta! Ela é muito mansinha! As crianças já deram água, ração…_ Sorri!

Muitas horas depois, um menino da redondeza resolveu adotá-la, tratando-a com carinho e providenciando os cuidados necessários.

Bom meus amigos, esta é apenas uma história de tantas que existem por aí. Muitas delas você encontrará no Facebook, na página do nosso amigo Rodrigo Vidal, defensor com amor, da causa.

Dedico esta crônica ao Rodrigo, à Ana Vidal, sua companheira e aos dois médicos que foram bem atenciosos conosco!

Quanto à linda gatinha, a mais nova moradora do prédio da Renata Menezes, tomara ela encontre um novo lar. Gostaria de conhecê-la nem que seja por foto! rs. Não vou nem falar com a Clara. Seria adoção na hora, acredito! rs

Eduardo

24/11/11

Anúncios

Oração

“Viva a oração nos matagais, na floresta virgem de meu ser, bem aventurados os temporais, no coração rasgar para não permanecer”

Oração nos Matagais. Altay Veloso.

“Quando eu quero falar com Deus, eu apenas falo. Quando eu quero falar com Deus, às vezes me calo… É tão lindo falar com Deus, em qualquer momento… Não existe onde ele não esteja e Ele pode escutar nossa voz…”

Quando eu quero falar com Deus. Roberto Carlos.

Estava um dia andando de ônibus quando vi a frase de pára-choque de caminhão: Ora que melhora!

Quando eu era criança ficava horas rezando. Mesmo com pouca idade sentia que alguma coisa mudava em mim. Morávamos em Ouro Preto-MG e tínhamos de chegar mais cedo à igreja para conseguir um lugar para assentar. Lá chegando, encontrávamos antes da missa as beatas rezando o terço com suas fitas vermelhas cobrindo-lhes os ombros identificando assim a irmandade da qual faziam parte. A maneira como rezavam adquiria uma sonoridade muito diferente. Por anos e anos lá estavam aquelas senhoras de joelhos no chão em nome de sua fé. Ao final voltavam-se para trás e cumprimentavam em silêncio respeitoso minha mãe e as outras pessoas que acabavam de chegar.

Minha avó materna rezava quase o tempo todo. Dia e noite segurando seu terço. Eu e meus irmãos a interrompíamos vez ou outra pra pedir um dinheirinho ou receber um carinho; em outras, ela atendia às pessoas que vinham visitá-la. Quantas percepções terá sentido em estado de oração, por quantas vezes rezou pedindo ao alto, bençãos e guarnição para a nossa família.

Rezar, orar. Falar com Deus. Principalmente nas horas de tristeza e aflição. Chamar, clamar aos céus. Bem aventurados temporais. Oração: hora sã. Em humildade, buscando a paz.

Eduardo Augusto

 22/11/11


Seta

O automóvel é uma invenção maravilhosa. Acho que nunca vou me esquecer quando dirigi um carro pela 1ª vez. Uma feliz sensação de liberdade tomou conta de mim! Com o tempo, fui percebendo que a nem tão falada atenção difusa não era assim uma coisa das mais fáceis de se praticar. E pensar que depois, tudo ficará quase no automático…

Quando se está aprendendo a dirigir, temos de pensar e por isso, a engenhosa máquina parece não nos obedecer, ditando seus caprichos a cada aceleração ou mesmo na hora de frear.

Manobrando um carro temos de ver e vendo aprendemos a olhar. Melhor assim. Evitam-se acidentes. Preservar a vida é fundamental em qualquer época ou lugar!  

Escrevo esta crônica para fazer um elogio à seta do carro. Que invenção! Você já percebeu seu simpático barulhinho ao fazer uma conversão? Tec, tec, tec. É para lembrar que está ligada.

Um pequeno gesto que evitará certamente possíveis transtornos. Realizada a manobra, como que por milagre da inteligência ela desarma. Alguns se esquecem de usá-la! Será?

Até bem pouco tempo atrás não tinha notícias de que a seta estragava. Bela surpresa ao saber através de uma amiga que isso ocorreu  com o carro dela, exigindo de sua parte maior atenção. Mais ainda de quem estava por perto.

Parabéns ao Karl Benz que patenteou o carro e a tantas outras mentes brilhantes que contribuiram para aperfeiçoar essa incrível invenção! Sigamos em frente!

 Eduardo

21/11/11


As mãos

Tenho pensado nas mãos. Não é interessante que, de uma hora para outra as pessoas tenham descoberto que com elas se pode fazer um coração?

Como são importantes as mãos. Com elas aprendemos as primeiras letras. Seguimos pela vida escrevendo, pintando quadros, desenhando, dirigindo automóveis, cozinhando…

Em nossos dedos, nossas digitais para sabermos que somos únicos. Mãos dadas, corrente do bem.

São elas que abençoam e entregam tudo nas “mãos de Deus”. Podem operar milagres, regenerar órgãos tornando-os saudáveis.

Mãos que acolhem, iluminam, doam. “Uma mão lava a outra” diz o ditado.

Mãos que falam. Libras. Fazem um carinho nos filhos, digitam palavras para o futuro.

Tão importantes que ganharam um dia. O Dia Mundial de Lavar as Mãos, dia 15 de outubro, comemorado em mais de 85 países que pela 1ª vez,  esse ano, aconteceu no Brasil.

É isso! Palmas!

Eduardo

17/11/11


Verdade Interior

Os 64 hexagramas do I Ching.

Num certo sentido, toda pessoa é uma pessoa difícil, principalmente para aqueles que estão próximos. Existe uma palavrinha bem diferente que fala disso: idiossincrasia, ou seja, o modo particular de ser de cada um. Mas, sabemos também que algumas pessoas são mais difíceis que outras. Bem mais. Não nos dão ouvidos, não aceitam conselhos de espécie alguma e agem da maneira que acham correta. Como então levar nossa verdade a essas pessoas? Segundo, um antigo livro de sabedoria chinesa, o I Ching, é preciso ter um coração livre de preconceitos e, mais do que isso, possuir preparo e firmeza interior. Algo que se conquista após longos anos de trabalho sobre si mesmo, assim, a verdade interior chegará a um grande desenvolvimento. Segundo esse oráculo existe também um modo correto de abordá-las que não deve se confundir com uma simples intimidade. É preciso como que estabelecer uma aliança, um contato mais verdadeiro com o outro, conversar, falar com suavidade; existe uma hora para tudo.

Outra palavra é empatia. Saber se colocar no lugar do outro, ter um olhar, alcançá-lo, porque se deseja estar unido a ele para confortá-lo e se necessário, até mesmo salvá-lo de suas próprias incompreensões e erros. Para levar essa verdade interior que conforta e liberta, é preciso usar bem as palavras. Elas são o resultado do que se traz dentro do coração. Outra coisa é não deixar que seu próprio equilíbrio dependa do outro, pois se ele estiver no outro, pode ser que uma hora você esteja no céu, em outra, num lugar nada confortável.

Para auxiliar pessoas difíceis é preciso também humildade. Nem sempre é o momento de falar, às vezes é preciso calar. A humildade ensina também o valor do outro. Mesmo que ele seja difícil, suas qualidades lá estão à espera de um dia desabrocharem. Humildade, sublime virtude, para se deixar iluminar em busca de uma orientação mais alta, em busca da palavra certa, do gesto que será abrigo seguro para o nosso próximo. Humildade que evita partidarismos, porque está ao lado da verdade. O mundo carece desses líderes capazes de a tudo interligarem com a força de sua personalidade e que não confiam somente em palavras.

Para lidar com pessoas difíceis é preciso estar em paz, com o coração alegre e dizer o que precisa ser dito com suavidade. Constante suavidade, elo de uma ligação com o outro. Assim se poderá chegar a influenciá-lo. Quem sabe mudar o mundo.

Eduardo Augusto

22/09/11

22:55

Dedico esse texto aos sábios chineses que compuseram o livro das mutações.


O que fazer

Como conciliar os afazeres domésticos com a necessária atenção aos filhos? É o que se perguntam muitas mães. Chega o fim de semana é hora de colocar em ordem a casa. Uma rotina pra lá de cansativa, principalmente, quando não se tem uma ajudante. As crianças, principalmente as pequenas, pedem atenção o tempo todo.

Vejo que uma boa saída é incluí-las nas atividades, de acordo com a sua capacidade e interesse. Por exemplo: a área externa precisa ser lavada. É possível deixar as crianças jogando água. Elas adoram! Não espere que não farão bagunça! Farão com quase 100% de certeza. Inclusive vão te molhar, mas relaxe.

Você irá querer que ela esfregue o canto esquerdo da parede e ela encherá o balde até transbordar. Assim elas aprendem brincando e participam. É hora de preparar o almoço? Que tal pedir um auxílio para catar o feijão, ou rasgar as folhas de couve? Já fizemos isso com minha filha! Ela adorou!

Se está na hora do jantar, dê a chance de seu filho escolher o macarrão. O que criança mais sabe fazer é brincar. Que tal fazer junto um bolo? Preparar a omelete colocando queijo ralado e presunto? Muita roupa pra lavar? Chame pra separar, juntar e colocar na máquina de lavar.

Lembre-se: o mundo para elas é um imenso campo de descobertas e possibilidades. Participe junto, descubra junto. Faça diferente. Traga para perto os filhos porque é esse tempo com eles que renova, rejuvenesce, dá vida e cor aos momentos.

 Eduardo

17/11/11.


Os brutos também amam

Conheci recentemente uma senhora de 80 anos que me pareceu ser uma pessoa bem difícil. Mantivemos algum contato superficial durante algum tempo, mas, com sua mudança do prédio onde moramos, ela nos solicitou alguns pequenos favores. Quase todos os dias batia à porta do nosso apartamento. Quando foi se despedir da minha família, se emocionou ao dizer que era uma pena ter nos conhecido melhor somente agora. Seus olhos ficaram lacrimejantes.

O ser humano possui uma capacidade quase natural de julgar as pessoas. É um potente filtro que atua fazendo uma seleção. Dessa pessoa eu gosto, dessa não; esse não me parece simpático, essa não me agradou, etc, etc. Se julgamos, também somos julgados. Como agravante deste fato, acontece muitas vezes, de verbalizarmos nossa compreensão dos outros, projetando nossas próprias fraquezas, ou mesmo manipulando algo a partir do que achamos.

Você costuma prestar atenção a esse sutil monólogo interior quando está diante de alguém? Não é tão fácil calar nossa língua interior. Alcançar a história pessoal de cada indivíduo envolve algum grau de conhecimento e sensibilidade, bem como algum nível importante de contato.

Quantas histórias vive um único ser humano ao longo de uma existência? Quantas alegrias, dores, dramas, sofrimentos, quem sabe, dúvidas atrozes? Entendo que por isso não devemos julgar com nossas medidas ainda tão limitadas. Mesmo aquelas pessoas mais duras trazem em si alguma candura escondida ou não manifestada: “os brutos também amam!”. Não julgar. Este é um exercício diário, mas que com certeza, nos permite uma relação melhor com nossos semelhantes.

Eduardo Augusto 07/11/11